A NIO perfila-se como um major playmaker na mobilidade saiba porquê!

Para os mais desatentos a NIO é vista como uma marca de automóveis ou uma equipa da Fórmula E. Mas não é assim que pretende ser vista, a NIO quer ser parte fundamental do ecossistema da mobilidade remetendo o automóvel e as suas características para um segundo plano.

Essa visão foi a muito marcada pelo então chief executive Padmasree Warrior em 2015:

“We are not just building an electric vehicle (…) we are thinking about the entire transportation experience and how to optimize it ”

Estas declarações ambíguas em 2015 encontram cada vez mais clarividência na conferência sobre mobilidade que decorreu em São Francisco na passada semana.

Ganesh Iyer responsável de Digital operations e Annie Shea Weckesser vice presidente da comunicação para os EUA desvendaram algumas ideias que a NIO quer implementar no curto espaço de tempo.

Apesar dos impressionantes 11.346 veículos vendidos em 2018 o ES8 e ES6 não foram minimamente o foco da conversa, o NIO lifestyle, a tecnologia e a comunicação ocuparam sim o palco principal da conversa. A NIO tenta operar essencialmente como uma empresa web/mobile contratando a JAC Motors para a montagem dos seus veículos e desenvolve in house o software para os mesmos.

A NIO quer reforçar a sua posição digital e móvel em primeiro lugar, alguém conhecia que a app da NIO já é utilizada por mais de 600000 utilizadores?! Este crescimento manifesta-se por pontos que cada utilizador ganha ao postar conteúdos, comentar e dar feedback sobre os produtos e serviços.

Os carros são adquiridos directamente via app e é através dela que a reserva é enviada à fábrica e por onde passa todo o processo de compra. Aliás pode igualmente fazer marcação de reparação ou revisão, até poderá agendar alguma deslocação de um técnico ao domicílio (casa,emprego,etc).

Relativamente ao NIO Lifestyle este não se remete unicamente ao mundo digital, existem cerca de 13 casas NIO (NIO houses) que são uma mescla de Apple store com Tesla showroom num ambiente lounge relaxado. O conceito segundo Weckesser é difícil de imaginar a menos que se visite uma loja na China pois é o espelho das necessidades e desejos dos clientes locais.

A rede de carregamento de veículos elétricos na China ainda não é tão densa como nos Estados Unidos e Europa e enfrenta a especificidade das residências chinesas que dificultam os pontos de carga. A NIO através da sua divisão alemã criou um carregador type 2 com design apelativo e fácil montagem no entanto para quem não tem possibilidade de carregamento doméstico a NIO tem o serviço de carregamento concierge através de um veículo móvel que permite o carregamento de aproximadamente 100 km em 10 minutos!

Além dessas opções de carregamento a NIO tem uma rede de supercarregadores e estações de troca de baterias que já ascendem a 18. Essas estações tem no seu interior um stock de no mínimo 5 packs disponíveis possibilitando a troca em 3-4 minutos.

O nível máximo de condução autónoma é um dos grandes objetivos da NIO e em breve espera disponibilizar o nível 4 (nível anterior ao autónomo total). O seu concept autónomo é a visão da NIO para o futuro da companhia, o veículo torna-se um espaço similar a uma casa e um companheiro digital. Os veículos já possuem um robot, NOMI que reconhece os utilizadores e também faz a transmissão de terabytes de informações.

Parece ser algo similar ao conceito que a Byton introduziu recentemente, o veículo não é um espaço de perda de tempo mas sim algo que nos transporta de A para B enquanto rentabilizamos esse percurso, seja em reuniões por videoconferência, realização de trabalhos ou planeamento de férias. Tudo a volta da uma sensação que o veículo está sempre lá para nos ajudar e aconselhar.

Uma empresa que cresce muito rapidamente e de forma sólida e muito provavelmente irá entrar em força no mercado europeu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *