Frota da Transtejo renovada para usar gás importado em vez de electricidade nacional

The fully electric ferry operates across the six kilometer long route E39, between Lavik and Oppedal, north of Bergen in Norway. It travels the fjord 34 times a day, with each trip taking around 20 minutes. Fonte

De acordo com o Jornal Económico, o governo aprovou em conselho de ministros um plano de investimento de 57 milhões de euros em 10 novos navios para a Transtejo. Estes navios serão movidos a gás natural, importado claramente, pois Portugal não tem produção do mesmo.

De acordo com estudos realizados pela Siemens(em inglês) com dois navios em operação na Noruega e Finlândia, qualquer transporte realizado em navio com uma duração inferior a 60 minutos é mais lucrativo, se o meio de locomoção for eléctrico em vez de gasóleo.

Na solução apresentada pela Siemens para a Dinamarca(pdf em inglês) e Noruega(pdf em inglês), o investimento superior num navio eléctrico é compensado em menos de 6 anos, o que se torna muito lucrativo devido à idade útil para um navio deste género ser superior a 30 anos, podendo se recuperar o investimento extra até 5 vezes.

Uma questão bem grave é que Portugal não tem produção de gás natural, é uma questão pertinente optar por esta solução que afecta negativamente todos os portugueses, quando o Saldo Importador de Produtos Energéticos em Portugal se agravou 19,3% em 2017, relativamente a 2016 (não existem ainda dados concretos relativos a 2018).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *